Resultado que faz a diferença Venha para o Over:

Mundo Over

Rede privada tem destaque no Ideb

Fonte: Tribuna do Norte

Das escolas privadas avaliadas pelo Ministério da Educação e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela avaliação do Ideb, estão ainda o CEI Romualdo Galvão, 16º no ranking nacional, e o Colégio Marie Jost. Um traço comum entre as três primeiras colocadas no ranking estadual é a importância que elas dão à formação continuada e, também, à interdisciplinaridade como base para dar uma visão mais universalizada do ensino.

Diretor do Over Colégio e Curso, o professor Carlos André comemora a nota 7,5 no RN. Como esta é a primeira vez que as escolas particulares de ensino médio entram no Ideb, o resultado não poderia ser melhor, avalia.

Para a escola, o índice não poderia ser melhor, resume Carlos André. “Ficar na frente de escolas que são uma referência e que a gente respeita muito como o Dante Alighieri Colégio de São Paulo (7,3) é uma legria muito grande”, compara o diretor.

“A gente se classifica como uma escola de resultados, que tem como um dos objetivos garantir que o aluno realmente aprenda”, resume Carlos André. Na metodologia aplicada que ele considera como um diferencial está a aplicação de provas semanais para medir o nível de aprendizado, diferente do modelo tradicional de avaliação, o que faz com que os alunos estudem semanalmente para as provas.

Na terceira série do ensino médio, o Over faz simulados a cada quinze dias. “A gente cobra muito pelo desempenho acadêmico do aluno”, exalta o professor. Segundo ele, mais que ser objetivo da escola querer que o aluno estude, o tipo de família e de aluno que ao longo do tempo passou a procurar o Over se encaixa no perfil da instituição que considera esse como o modelo ideal de educação. “Acredito que isso é que levou a gente a esse resultado”.

O resultado foi obtido neste nono ano da escola como projeto com ensino fundamental e médio, apesar de já ter completado 20 anos como cursinho. O Over já vinha com bom desempenho nos antigos modelos de avaliação e tinha a expectativa de ser o primeiro lugar no RN e estar entre as 50 particulares do Brasil.

No planejamento interno, esse primeiro lugar era para ser no ano que vem e em nível nacional, ficar entre os 50 melhores, e ficou entre as dez.

Resultados

Os números do Ideb 2017, das escolas públicas e privadas, foram divulgados no dia 4 de setembro pelo Ministério da Educação e o Inep. O indicador reúne os resultados do desempenho dos alunos em provas de português e matemática e a taxa de fluxo da escolas.

São avaliadas as três série: quinto e nono ano do Ensino Fundamental e terceira série do Ensino Médio. O Ministério da Educação, até 2015, publicava os resultados do ensino médio obtidos a partir de uma amostra escolar, diferentemente do ensino fundamental.

O Ideb é publicado a cada dois anos e, a partir da edição de 2017, quando foram realizadas as provas de avaliação nas escolas, o Saeb (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) passou a ser aplicado a todas as escolas públicas e, por adesão, às escolas privadas. E pela primeira vez, o Inep passou calcular o Ideb para as escolas do ensino médio. A decisão foi tomada na gestão do ex-ministro da Educação, Mendonça Filho, que considerava o antigo modelo de avaliação das escolas de ensino médio, baseado nas notas do Enem como “propaganda falsa”.

“O modelo antigo era inapropriado, não refletia a realidade das escolas, não indicava a qualidade”, refletiu a presidente do Inep, Maria Inês Fini. “Daí a importância de combinar as notas da Prova Brasil com as taxas de fluxo das escolas, gerando um panorama mais real do desempenho das instituições, qualificando o resultado.”

Escolas ressaltam projeto pedagógico

O CEI Romualdo Galvão, no ranking estadual do Ideb 2017 ficou com índice 6,9, a segunda melhor do Rio Grande do Norte e 16º no quadro nacional.

Diretora pedagógica do CEI Romualdo Galvão, Cristine Tinôco da Cunha Lima Rosado, explica que é preciso fazer uma avaliação de escola para escola, tomando-se como base o número de alunos, e não apenas nos parâmetros comparativos entre elas em termos de quantitativo de matriculados.

De acordo com ela, a análise dos resultados de uma escola com grande número de alunos não pode ser feita da mesma forma que uma com menor número, apesar de os dados fazerem essa equiparação. A diretora diz que a singularidade de cada uma deve ser respeitada.

O desempenho do CEI Romualdo Galvão é resultado de um trabalho pedagógico que vem sendo feito na escola há vários anos com valorização da forma integralizada como as várias disciplinas são passadas aos alunos como cultura e arte, linguagens, ciências da natureza e humanas para que eles tenham na escola uma oportunidade onde possam desenvolver suas habilidades, assinala a diretora.

Cristine Tinôco da Cunha Lima Rosado ressalta que o ensino não pode estar dissociado da vida do aluno e uma forma de envolvê-lo é dar esse caráter integralizado às disciplinas com o objetivo de transformar o ensino para o bom desempenho na sala de aula e fora dela. “Resultado não é para ser tratado apenas como números”, adverte ela que ressalta o trabalho continuado desenvolvido no CEI Romualdo.

Terceira no ranking estadual do Ideb 2017, o Colégio Marie Jost teve desempenho 6,3 na avaliação do Inep e também aposta na interdisciplinaridades e no diálogo entre alunos e professores como a melhor forma para se atingir um bom desempenho como o apontado pelo MEC.

A diretora do Marie Jost, professora Cássia Furtado, explica que para a escola o resultado é muito importante porque ela só tem treze anos de funcionamento.

A escola é de tempo integral e o diferencial, fora todo o trabalho dos professores, é tentar ter um aluno mais reflexivo.

O trabalho da Marie Jost se baseia na valorização da autonomia do aluno que pode levá-lo a ter iniciativas. Segundo ela, a teoria e a prática estão associadas no ensino da escola.

No dia-a-dia, todas as disciplinas na Marie Jost complementam-se entre si. A prática pedagógica aproxima as diversas disciplinas. “Essa escola tem um traço diferente como toda escola deve ter”, pontua a diretora.

Resultados do Ideb 2017 – Ensino médio das escolas privadas do RN

Ranking

Over Colégio e Curso – 7,5

CEI Romualdo – 6,9

Colégio Marie Jost – 6,3

Instituto Maria Auxiliadora – 6,3

Complexo Educacional Contemporâneo – 6,2

Instituto Reis Magos – 5,7

Centro Educacional Pinheiros – 5,1

CDF Colégio e Curso – 4,9

Colégio e Curso Absoluto – 4,9

Colégio Talento – 4,9

Obs.: Muitas escolas não foram ranqueadas porque não participaram das provas do Ideb 2017 ou não tiraram notas suficientes para entrar na lista.

compartilhe:

Mundo Over

Rede privada tem destaque no Ideb

Fonte: Tribuna do Norte

Das escolas privadas avaliadas pelo Ministério da Educação e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela avaliação do Ideb, estão ainda o CEI Romualdo Galvão, 16º no ranking nacional, e o Colégio Marie Jost. Um traço comum entre as três primeiras colocadas no ranking estadual é a importância que elas dão à formação continuada e, também, à interdisciplinaridade como base para dar uma visão mais universalizada do ensino.

Diretor do Over Colégio e Curso, o professor Carlos André comemora a nota 7,5 no RN. Como esta é a primeira vez que as escolas particulares de ensino médio entram no Ideb, o resultado não poderia ser melhor, avalia.

Para a escola, o índice não poderia ser melhor, resume Carlos André. “Ficar na frente de escolas que são uma referência e que a gente respeita muito como o Dante Alighieri Colégio de São Paulo (7,3) é uma legria muito grande”, compara o diretor.

“A gente se classifica como uma escola de resultados, que tem como um dos objetivos garantir que o aluno realmente aprenda”, resume Carlos André. Na metodologia aplicada que ele considera como um diferencial está a aplicação de provas semanais para medir o nível de aprendizado, diferente do modelo tradicional de avaliação, o que faz com que os alunos estudem semanalmente para as provas.

Na terceira série do ensino médio, o Over faz simulados a cada quinze dias. “A gente cobra muito pelo desempenho acadêmico do aluno”, exalta o professor. Segundo ele, mais que ser objetivo da escola querer que o aluno estude, o tipo de família e de aluno que ao longo do tempo passou a procurar o Over se encaixa no perfil da instituição que considera esse como o modelo ideal de educação. “Acredito que isso é que levou a gente a esse resultado”.

O resultado foi obtido neste nono ano da escola como projeto com ensino fundamental e médio, apesar de já ter completado 20 anos como cursinho. O Over já vinha com bom desempenho nos antigos modelos de avaliação e tinha a expectativa de ser o primeiro lugar no RN e estar entre as 50 particulares do Brasil.

No planejamento interno, esse primeiro lugar era para ser no ano que vem e em nível nacional, ficar entre os 50 melhores, e ficou entre as dez.

Resultados

Os números do Ideb 2017, das escolas públicas e privadas, foram divulgados no dia 4 de setembro pelo Ministério da Educação e o Inep. O indicador reúne os resultados do desempenho dos alunos em provas de português e matemática e a taxa de fluxo da escolas.

São avaliadas as três série: quinto e nono ano do Ensino Fundamental e terceira série do Ensino Médio. O Ministério da Educação, até 2015, publicava os resultados do ensino médio obtidos a partir de uma amostra escolar, diferentemente do ensino fundamental.

O Ideb é publicado a cada dois anos e, a partir da edição de 2017, quando foram realizadas as provas de avaliação nas escolas, o Saeb (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) passou a ser aplicado a todas as escolas públicas e, por adesão, às escolas privadas. E pela primeira vez, o Inep passou calcular o Ideb para as escolas do ensino médio. A decisão foi tomada na gestão do ex-ministro da Educação, Mendonça Filho, que considerava o antigo modelo de avaliação das escolas de ensino médio, baseado nas notas do Enem como “propaganda falsa”.

“O modelo antigo era inapropriado, não refletia a realidade das escolas, não indicava a qualidade”, refletiu a presidente do Inep, Maria Inês Fini. “Daí a importância de combinar as notas da Prova Brasil com as taxas de fluxo das escolas, gerando um panorama mais real do desempenho das instituições, qualificando o resultado.”

Escolas ressaltam projeto pedagógico

O CEI Romualdo Galvão, no ranking estadual do Ideb 2017 ficou com índice 6,9, a segunda melhor do Rio Grande do Norte e 16º no quadro nacional.

Diretora pedagógica do CEI Romualdo Galvão, Cristine Tinôco da Cunha Lima Rosado, explica que é preciso fazer uma avaliação de escola para escola, tomando-se como base o número de alunos, e não apenas nos parâmetros comparativos entre elas em termos de quantitativo de matriculados.

De acordo com ela, a análise dos resultados de uma escola com grande número de alunos não pode ser feita da mesma forma que uma com menor número, apesar de os dados fazerem essa equiparação. A diretora diz que a singularidade de cada uma deve ser respeitada.

O desempenho do CEI Romualdo Galvão é resultado de um trabalho pedagógico que vem sendo feito na escola há vários anos com valorização da forma integralizada como as várias disciplinas são passadas aos alunos como cultura e arte, linguagens, ciências da natureza e humanas para que eles tenham na escola uma oportunidade onde possam desenvolver suas habilidades, assinala a diretora.

Cristine Tinôco da Cunha Lima Rosado ressalta que o ensino não pode estar dissociado da vida do aluno e uma forma de envolvê-lo é dar esse caráter integralizado às disciplinas com o objetivo de transformar o ensino para o bom desempenho na sala de aula e fora dela. “Resultado não é para ser tratado apenas como números”, adverte ela que ressalta o trabalho continuado desenvolvido no CEI Romualdo.

Terceira no ranking estadual do Ideb 2017, o Colégio Marie Jost teve desempenho 6,3 na avaliação do Inep e também aposta na interdisciplinaridades e no diálogo entre alunos e professores como a melhor forma para se atingir um bom desempenho como o apontado pelo MEC.

A diretora do Marie Jost, professora Cássia Furtado, explica que para a escola o resultado é muito importante porque ela só tem treze anos de funcionamento.

A escola é de tempo integral e o diferencial, fora todo o trabalho dos professores, é tentar ter um aluno mais reflexivo.

O trabalho da Marie Jost se baseia na valorização da autonomia do aluno que pode levá-lo a ter iniciativas. Segundo ela, a teoria e a prática estão associadas no ensino da escola.

No dia-a-dia, todas as disciplinas na Marie Jost complementam-se entre si. A prática pedagógica aproxima as diversas disciplinas. “Essa escola tem um traço diferente como toda escola deve ter”, pontua a diretora.

Resultados do Ideb 2017 – Ensino médio das escolas privadas do RN

Ranking

Over Colégio e Curso – 7,5

CEI Romualdo – 6,9

Colégio Marie Jost – 6,3

Instituto Maria Auxiliadora – 6,3

Complexo Educacional Contemporâneo – 6,2

Instituto Reis Magos – 5,7

Centro Educacional Pinheiros – 5,1

CDF Colégio e Curso – 4,9

Colégio e Curso Absoluto – 4,9

Colégio Talento – 4,9

Obs.: Muitas escolas não foram ranqueadas porque não participaram das provas do Ideb 2017 ou não tiraram notas suficientes para entrar na lista.

compartilhe:

O Over realizará, entre os dias 1 e 14 de julho, um curso on-line voltado para o ENEM, com a partic …

A Colônia de Férias Over, que ocorrerá de 5 a 16 de julho, também já tem local e valores defini …

Hoje (dia 27 de maio) e amanhã, acontece a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA …