Resultado que faz a diferença Venha para o Over:

Mundo Over

A importância do ensino da Lógica

No que diz respeito ao estudo da Matemática, é notável o fato de que vários alunos possuem diversas dificuldades de aprendizagem, pelos mais variados motivos. Parte dos que possuem dificuldade até consegue compreender os conteúdos estudados, mas muitos relatam ter uma enorme dificuldade em aplicar os conhecimentos para resolver problemas propostos, mesmo que, em muitos casos, tais problemas não tenham um alto nível de complexidade. Muitas vezes, o aluno não consegue extrair de maneira satisfatória as condições implícitas no problema, além de demonstrarem dificuldades em mapear um caminho que o conduza à uma solução.

Da mesma forma como acontece com a leitura e a escrita, o raciocínio lógico na resolução de problemas matemáticos é um fator de extrema importância, sendo fundamental que os alunos compreendam e raciocinem sobre o que está sendo proposto. Logo, aprender Matemática é muito mais do que aprender técnicas de utilização imediata e repetir exercícios. É necessário que o estudante aprenda a interpretar, investigar e comparar ideias, percebendo possíveis soluções e sabendo comunicá-las matematicamente.

A Lógica é uma área da filosofia que estuda a estrutura formal dos enunciados, bem como as suas regras, sendo necessária para pensar corretamente. Seu estudo estimula o desenvolvimento do raciocínio através de experiências que são proporcionadas a partir da interação entre as estruturas mentais e o meio, favorecendo assim o aprendizado. Dessa forma, a capacidade mental é exercitada e os mecanismos cognitivos são ativados, promovendo inúmeros benefícios, como:

– Amadurecimento do raciocínio, melhorando a capacidade de buscar, analisar, tratar e organizar a informação;

– Estimular a relação entre os alunos (que se auxiliam na resolução de problemas), desafiando sua capacidade de raciocinar e despertando sua curiosidade;

– Melhorar a capacidade de transferir e receber informações, dando mais autonomia ao aluno, inclusive, para interpretar melhor os problemas de Matemática;

– Construção de uma postura crítica, sendo consciente de que o conhecimento não é algo terminado e deve ser construído constantemente.

Por isso, em função dos inúmeros benefícios promovidos, a Lógica tem sido muito utilizada por professores no processo de ensino-aprendizagem nas mais variadas disciplinas, uma vez que os resultados obtidos são bastante satisfatórios, afinal, a aprendizagem é estruturada na ordenação do pensamento.

Mas como podemos melhorar a capacidade de raciocínio de um aluno?  Em sua grande contribuição com o estudo do raciocínio lógico-matemático, Jean Piaget (1978) afirmou que o conhecimento lógico-matemático resulta da ação mental da criança sobre os objetos. Portanto, ele não pode ser ensinado por repetição ou verbalização.

De fato, a habilidade dos educandos de usar o raciocínio lógico é decorrida da familiarização, amadurecimento e prática, evidenciando, assim, a necessidade de intensificar a sua prática. Ao professor, cabe o desafio de guiar seus alunos, propondo problemas desafiadores, que estimulem de maneira inteligente o pensar.

É possível propor situações problema (que envolvam não só Matemática, como também análise de informações com o intuito de descobrir algo), jogos (como Xadrez e Sudoku), problemas que envolvam a dedução de um padrão, dentre outras possibilidades.

Assim, podemos concluir que a implementação das questões de raciocínio lógico nas aulas de Matemática é uma forma de oferecer ao aluno a oportunidade de amadurecer na resolução de questões, o tornando mais próximo das mesmas. A partir do momento em que o convívio do aluno com essas questões se torna mais frequente, é criada certa familiaridade, fato que permite a criação de técnicas mais rápidas e eficientes para lidar com as mais diversas situações, melhor organizando sua linha de raciocínio.

De acordo com Polya (1997), se a educação não contribui para o desenvolvimento da inteligência, ela está obviamente incompleta. Entretanto, a inteligência é essencialmente a habilidade para resolver problemas: problemas do cotidiano, problemas pessoais, problemas sociais, problemas científicos, quebra cabeças e toda sorte de problemas. O aluno desenvolve sua inteligência usando-a.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALMEIDA, Francilene (et. al.). A importância de trabalhar o raciocínio lógico nas aulas de matemática. II Conedu, 2015.

PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. 3.ED. Rio De Janeiro: Zahar, 1978.

POLYA, G. A arte de resolver problemas. Rio De Janeiro: Interciências, 1986.

compartilhe:

Mundo Over

A importância do ensino da Lógica

No que diz respeito ao estudo da Matemática, é notável o fato de que vários alunos possuem diversas dificuldades de aprendizagem, pelos mais variados motivos. Parte dos que possuem dificuldade até consegue compreender os conteúdos estudados, mas muitos relatam ter uma enorme dificuldade em aplicar os conhecimentos para resolver problemas propostos, mesmo que, em muitos casos, tais problemas não tenham um alto nível de complexidade. Muitas vezes, o aluno não consegue extrair de maneira satisfatória as condições implícitas no problema, além de demonstrarem dificuldades em mapear um caminho que o conduza à uma solução.

Da mesma forma como acontece com a leitura e a escrita, o raciocínio lógico na resolução de problemas matemáticos é um fator de extrema importância, sendo fundamental que os alunos compreendam e raciocinem sobre o que está sendo proposto. Logo, aprender Matemática é muito mais do que aprender técnicas de utilização imediata e repetir exercícios. É necessário que o estudante aprenda a interpretar, investigar e comparar ideias, percebendo possíveis soluções e sabendo comunicá-las matematicamente.

A Lógica é uma área da filosofia que estuda a estrutura formal dos enunciados, bem como as suas regras, sendo necessária para pensar corretamente. Seu estudo estimula o desenvolvimento do raciocínio através de experiências que são proporcionadas a partir da interação entre as estruturas mentais e o meio, favorecendo assim o aprendizado. Dessa forma, a capacidade mental é exercitada e os mecanismos cognitivos são ativados, promovendo inúmeros benefícios, como:

– Amadurecimento do raciocínio, melhorando a capacidade de buscar, analisar, tratar e organizar a informação;

– Estimular a relação entre os alunos (que se auxiliam na resolução de problemas), desafiando sua capacidade de raciocinar e despertando sua curiosidade;

– Melhorar a capacidade de transferir e receber informações, dando mais autonomia ao aluno, inclusive, para interpretar melhor os problemas de Matemática;

– Construção de uma postura crítica, sendo consciente de que o conhecimento não é algo terminado e deve ser construído constantemente.

Por isso, em função dos inúmeros benefícios promovidos, a Lógica tem sido muito utilizada por professores no processo de ensino-aprendizagem nas mais variadas disciplinas, uma vez que os resultados obtidos são bastante satisfatórios, afinal, a aprendizagem é estruturada na ordenação do pensamento.

Mas como podemos melhorar a capacidade de raciocínio de um aluno?  Em sua grande contribuição com o estudo do raciocínio lógico-matemático, Jean Piaget (1978) afirmou que o conhecimento lógico-matemático resulta da ação mental da criança sobre os objetos. Portanto, ele não pode ser ensinado por repetição ou verbalização.

De fato, a habilidade dos educandos de usar o raciocínio lógico é decorrida da familiarização, amadurecimento e prática, evidenciando, assim, a necessidade de intensificar a sua prática. Ao professor, cabe o desafio de guiar seus alunos, propondo problemas desafiadores, que estimulem de maneira inteligente o pensar.

É possível propor situações problema (que envolvam não só Matemática, como também análise de informações com o intuito de descobrir algo), jogos (como Xadrez e Sudoku), problemas que envolvam a dedução de um padrão, dentre outras possibilidades.

Assim, podemos concluir que a implementação das questões de raciocínio lógico nas aulas de Matemática é uma forma de oferecer ao aluno a oportunidade de amadurecer na resolução de questões, o tornando mais próximo das mesmas. A partir do momento em que o convívio do aluno com essas questões se torna mais frequente, é criada certa familiaridade, fato que permite a criação de técnicas mais rápidas e eficientes para lidar com as mais diversas situações, melhor organizando sua linha de raciocínio.

De acordo com Polya (1997), se a educação não contribui para o desenvolvimento da inteligência, ela está obviamente incompleta. Entretanto, a inteligência é essencialmente a habilidade para resolver problemas: problemas do cotidiano, problemas pessoais, problemas sociais, problemas científicos, quebra cabeças e toda sorte de problemas. O aluno desenvolve sua inteligência usando-a.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALMEIDA, Francilene (et. al.). A importância de trabalhar o raciocínio lógico nas aulas de matemática. II Conedu, 2015.

PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. 3.ED. Rio De Janeiro: Zahar, 1978.

POLYA, G. A arte de resolver problemas. Rio De Janeiro: Interciências, 1986.

compartilhe:

O Over realizará, entre os dias 1 e 14 de julho, um curso on-line voltado para o ENEM, com a partic …

A Colônia de Férias Over, que ocorrerá de 5 a 16 de julho, também já tem local e valores defini …

Hoje (dia 27 de maio) e amanhã, acontece a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA …